Imagem da lateral da busca
Limpa os float da busca
Facebook >

Contribuir com missões




Por quê Contribuir?

Se você entrou nesta página, certamente é porque tem interesse na evangelização do Brasil e do mundo e quer saber por que deveria contribuir para missões.

Há muitas (e sérias) razões para se envolver com a obra missionária:

É mandamento de Jesus Cristo (Mateus 28:19)
Você é comprometido com Jesus (ou não é?)
Na parábola dos talentos aprendemos que aqueles que aplicaram seus talentos dobraram-nos; mas aquele que o escondeu, perdeu-o.
Porque a responsabilidade é nossa. Se contribuirmos, o missionário pode ir, pode pregar, vidas podem ser salvas; e Deus promete nos galardoar por isso!
Porque conhecemos a Palavra de Deus. Se queremos demonstrar o nosso amor a Jesus, façamo-lo de modo prático: ORANDO, CONTRIBUINDO, ENVIANDO.
Diga “sim”, pode contar comigo, Senhor!

Que estas palavras possam arder em seu coração.

Se você soubesse que Jesus iria voltar daqui a uma semana, o que você faria? Em que projetos você se envolveria? Em que você investiria o seu dinheiro? Com o que você gastaria o seu tempo?

A única resposta para esta pergunta é que precisamos mais do que nunca estar comprometidos com aquilo que é prioridade para Deus: MISSÕES.

“Entre no céu como alguém que tem uma herança para receber, possibilitada pelas contribuições feitas, enquanto viveu aqui na terra. Ou você será um pobretão por não ter enviado nada para lá, enquanto viveu?” (Oswald Smith).

Como Contribuir?

Sua contribuição é um ato de adoração a Deus (Fp 4.18) e é tendo essa consciência que você deve contribuir. É uma atitude que deve ser feita com alegria e sinceridade. A oferta missionária é como aroma suave e como sacrifício aceitável e aprazível a Deus. Na mesma medida que assistimos as necessidades dos missionários no campo, tributamos culto de adoração a Deus com nossas ofertas. Dessa forma, oque é mais sublime, o que é mais tremendo, o que é mais imensurável é que sua contribuição para missões não se resume a apenas uma movimentação financeira. Quando você dá a sua oferta missionária, desencadeia reflexos no céu e na terra; ela toca o coração de Deus e abre portas na terra. Algo espiritual acontece, de acordo com o princípio divino e eterno do plantio e colheita!

No momento de sua oferta você está dizendo a Deus que quer ter o privilégio de ser parceiro dEle no grande projeto de levar o evangelho a todos os povos. E Deus aceita a sua parceria com gratidão e lhe garante uma promessa maravilhosa: "E certamente estou convosco todos os dias, até a consumação do século" (Mateus 28:20). A partir do objetivo e do compromisso que você assumiu no seu coração perante Deus e dentro de sua fidelidade, sua contribuição se transforma numa semeadura e o dinheiro numa semente.

Semeadura e Colheita

No mundo a economia funciona na base da oferta e procura. Quando há escassez de um produto ou muita procura pelo mesmo o valor do produto se eleva. Quando há muita fartura de um produto o valor cai. O que parece é que muitas pessoas não compreendem que as finanças de Deus funcionam da maneira oposta às do mundo.

Quando o profeta Elias pediu à viúva de Sarepta um pouco de água para beber e um pedaço de pão, a situação daquela pobre senhora era de total calamidade. A fome e a falta de recursos já haviam esgotadas todas as esperanças e atingido um estágio tão grave que para aquela mulher e seu filho só lhes restavam uma coisa: a morte! (1Re 17:12). Mesmo nessa situação absolutamente precária, ela não se recusou em ceder o que restava de seu único e escasso alimento para Elias. Em recompensa Deus deu àquela mulher uma bênção tremenda! Diz a Bíblia que "Da panela a farinha não se acabou, e da botija o azeite não faltou, conforme a palavra do Senhor, falada por intermédio de Elias." (1Re 17:16). As promessas de Deus são perfeitas, nunca falham! O que a viúva de Sarepta fez foi ofertar do pouco que tinha. Quando ela fez isso, agiu sintonizada com o plano de Deus para com ela própria e para com o profeta Elias. Isso ilustra muito bem nosso relacionamento com a obra missionária e o profeta Elias representa a figura do missionário no Antigo Testamento. O problema é que a maioria dos crentes raciocinam da seguinte forma: "Bem, quando eu estiver estabilizado financeiramente, as contas em dia e dinheiro sobrando, então talvez comece a ajudar a sustentar a obra missionária...". O que seria interessante, se não fosse tão trágico, é que os que pensam assim geralmente gastam uma quantia grande de dinheiro com doces, guloseimas e refrigerantes, mas não investem nenhum centavo em missões.

Muitos crentes hoje querem colher sem terem plantado nada! Ou ainda vivem de tentar fazer barganha com Deus - só dão se antes receber de Deus algo melhor em troca. Deus não aceita esse tipo de oferta! Na ecomomia divina não é assim que a coisa funciona. A sua Palavra diz: "Aqueles que retêm mais do que é justo empobrecerão, mas aqueles que dão liberalmente receberão ainda mais!" (Provérbios 11:24).

A viúva de Sarepta praticou essa semeadura. Colheu com abundância.

O Apóstolo Paulo escrevendo para um grupo de crentes da igreja em Corinto as quais ele pessoalmente tinha guiado para o Senhor, pergunta o seguinte: "Se temos semeado entre vocês a semente espiritual, será demais colhermos os benefícios materiais?" (1Coríntios 9:11)

Isso se refere à lei da semeadura e colheita. Quando você planta uma semente, a terra dá a colheita. A terra só pode produzir frutos após ter sido semeada. Sem semeadura não há colheita. O "dar" sempre vem antes do "receber". Dai, e dar-se-vos-á - disse Jesus. O texto revela que existe uma reciprocidade. Mas observe que Jesus não ficou só nessas palavras. Ele ainda complementa que a proporção do "receber" é da seguinte forma: "Boa medida, recalcada, sacudida e transbordante, generosamente vos darão" (Lucas 6:38). Que Deus seja louvado pelos séculos dos séculos!

Você acha que poderia se tornar mais pobre ou ficar com menos se desse algo para Deus? Você acha que conseguiria dar mais para Deus do que receber dEle? Leia 2 Crônicas 25:9. Deus já nos deu seu único filho para morrer pelos nossos pecados, já nos deu perdão, já nos concedeu a vida eterna e mesmo assim Ele quer nos dar muito mais! David Livingstone, o rico missionário britânico pioneiro nas selvas da África e que morreu ali pelo Senhor, disse: "Eu nunca fiz um sacrifício para Deus, porque Ele sempre me retribuiu muito mais do que Eu Lhe dei!" Livingstone nunca conseguiu dar mais do que Deus! E apesar dele ter acabado dando a sua vida, sem dúvida por fim colheu dividendos eternos por todas as almas imortais que guiou para o Senhor — milhares de pessoas salvas para a eternidade!

Como missionário de retaguarda você pode: INTERCEDER E CONTRIBUIR.

A oração é a primeira coisa e a mais importante. Através da oração, o missionário tem respaldo espiritual. A oração é uma arma poderosa contra as adversidades da vida, tanto para nós mesmos, como também, para defender os obreiros que estão na linha de frente. A oração deve ser constante e fervorosa. O missionário é fortalecido no campo através das orações dos irmãos. Pense nisso. Por que não decide hoje a assumir a responsabilidade de interceder diariamente por um missionário?

Além da oração, o missionário precisa de sustento material - ou seja, missionário também come, veste-se, seus filhos frequentam a escola, etc. Esse sustento deve ser dado através de contribuições financeiras. Por isso, ou fazemos missões mundiais ou, diante de Deus, estaremos sendo desobedientes, negligentes e omissos. Poderemos construir suntuosos templos. Poderemos fundar majestosos conjuntos musicais. E se podemos e temos condições de fazer isso, louvado seja Deus. Mas naquele grande dia, Deus não fará um concurso do templo mais bonito ou do conjunto mais esplendoroso. Ele sim requererá de nossas mãos o nosso empenho no sentido de tornar o mundo evangelizado. Obviamente que sozinhos não poderemos evangelizar o planeta inteiro. Mas podemos e devemos fazer a nossa parte nessa tarefa. E se cada um fizer a sua parte, o mundo evangelizado será um alvo realizável ainda nessa geração.

Que o sentimento de paixão pelas almas inunde nossos corações e nos leve a um profundo compromisso com a obra missionária.

Sementes em Boa Terra

O modelo bíblico de missões que Deus dá à sua Igreja está descrito em Atos 1.8. A vontade de Deus é que alcancemos tanto Jerusalém, como toda Judéia e Samaria e até os confins da terra. Observe que o texto não aponta para um roteiro a ser seguindo dentro de uma sequência. O texto não diz que é primeiro Jerusalém, depois Judéia e Samaria e por último os confins da terra. O que o texto aponta é para uma tarefa a ser realizada simultaneamente, tanto Jerusalém, como toda Judéia e Samaria e até os confins da terra.

Louvamos ao Senhor da Seara pelo despertar missionário em muitos corações na igreja de Cristo. Quando você contribui para o ministério dos Semeadores Missionários com Paixão pelas Almas você não só está semeando para missões, mas também tem a certeza de que está semeando em boa terra. O ministério de SEMIPA, através de vários projetos, tem avançado tanto em missões locais (Jerusalém), missões nacionais (Judéia e Samaria) e também missões mundiais (confins da terra)! Muitas almas tem sido tiradas das trevas e do caminho da destruição para a gloriosa luz do Evangelho de Cristo.

Colabore! Seja parceiro da evangelização mundial! Você terá o privilégio de trabalhar e atuar nos projetos missionários de SEMIPA, abençoando muitas vidas no Brasil e além fronteiras. Contribua mensalmente com o valor que Deus colocar em seu coração. Seja fiel! Ele te recompensará!

Os Semeadores Missionários com Paixão pelas Almas é uma organização cristã interdenominacional, sem fins lucrativos e todos os seus recursos arrecadados são aplicados em missões. Nossos demonstrativos financeiros são criteriosamente contabilizados e auditados anualmente, garantindo-se a aplicação dos valores nos projetos divulgados.

0 comentários:

Postar um comentário